Como fazer a compostagem: passo a passo, doméstica e muito mais!

Como fazer a compostagem: passo a passo, doméstica e muito mais!

Já experimentou fazer compostagem? Descubra o que é neste artigo, e veja dicas de como fazer no conforto da sua casa!


Descubra como fazer a compostagem:

Alimentos prontos para a compostagem

O mundo está cada vez mais se preocupando com meios sustentáveis. Assim, o cuidado com os resíduos que jogamos no meio ambiente tem estado cada vez mais em pauta. Corroborando para esse cuidado, a compostagem é uma maneira de recuperar o solo desgastado ao substituir o uso de produtos químicos nocivos, causando menos impacto.

O primeiro ponto básico é que a compostagem não é uma prática baseada somente em levar os resíduos orgânicos à composteira para dar início ao processo. É necessário ter controle sobre variáveis do ambiente como: o interno das caixas, a temperatura, a umidade e o pH. Veja a seguir com mais detalhes, como fazer uma compostagem.

O que é compostagem?

Dejetos para a compostagem

A compostagem é uma técnica que induz a decomposição de materiais orgânicos. Esses materiais são provenientes do meio urbano, industrial ou doméstico. Além disso, esse processo consiste em alguns passos importantes que vão além de apenas obter a composteira doméstica. Veja a seguir como realizar esta técnica.

Motivos para fazer compostagem

Ao fazer a compostagem, os resíduos orgânicos produzidos podem ser reaproveitados em até 50%. Além disso, evita que eles acabem parando em aterros sanitários. Nesses locais, com tantos materiais diferentes expostos, ocorre a produção do chorume. A substância é extremamente tóxica e a sua produção é considerada um dos maiores problemas ambientais.

Entre outros motivos, a produção de adubo natural ajuda na fertilização de qualquer solo que se queira plantar, contribuindo para a nutrição da planta. Dessa forma, ao evitar o transporte desses resíduos, se reduz a emissão de gases poluentes na atmosfera. Portanto, apostar na compostagem é sustentável porque colabora com o meio ambiente e freia o temido efeito estufa.

O que usar para a compostagem?

Há diversos tipos de resíduos que podem ser utilizados na compostagem. Dentre eles, o mais comum são os resíduos orgânicos como os restos de alimentos. Assim, talos e cascas de verduras e frutas, cascas de ovo e borra de café devem ser reaproveitados nesse processo. Por outro lado, é importante separar esse lixo de outros para não interferir na qualidade da compostagem.

Se for utilizar alimentos já cozidos, evite os ricos em sal ou industriais, ou seja, os alimentos processados. Esses alimentos contêm substâncias químicas que alteram a produção na composteira. Outro ponto, é que esse tipo de resíduo não deve estar úmido, por isso, se for possível, deixe-os secar na luz do sol ou coloque pó de serra nos alimentos. Além disso, ainda há a opção de levar a uma máquina desidratadora.

O que não usar para a compostagem?

Não utilize resíduos que não sejam orgânicos e outros que podem atrapalhar o processo da compostagem. Assim, os alimentos ricos em sal, gorduras, açúcar, ou seja, industrializados, devem ser evitados nesse processo, já que interferem diretamente na qualidade do adubo. Lembre-se da importância de separar o lixo, assim você evita que haja uma mistura inapropriada de resíduos.

Por fim, ainda há um lista de outros alimentos que devem ser evitados, como: frutas cítricas, alho, cebola, carnes, nozes pretas, trigo, arroz, plantas doentes e derivados de trigo. Esses alimentos atraem pragas e produzem substâncias que podem ser tóxicas para outros alimentos, já que têm uma decomposição mais lenta.

Elementos e condições essenciais para fazer compostagem

A primeira condição essencial para começar a fazer compostagem, é ter material suficiente. Ou seja, tenha bastante frutas, verduras, folhas, galhos de árvores, resto de algumas comidas, plantas frescas e aparas de grama, que adicionam nitrogênio, responsável por produzir nutrição aos resíduos.

É necessário oferecer água suficiente e mexer nos materiais, no mínimo, uma vez na semana para que ocorra a oxigenação dos resíduos. Além disso, o elemento mais importante para esse processo acontecer, é a composteira. Ela pode ser facilmente adquirida em lojas online ou físicas de jardinagem.

Onde fazer e camadas da compostagem

Se o espaço for limitado, como em um ambiente doméstico, é possível fazer compostagem sem nenhum problema. Para isso, use a composteira de minhocas. Ela é pequena e tem três andares, e quase não produz odores. Se preferir fazer a sua, ela pode ser feita com caixas ou baldes de plástico ou madeira, furados na base.

Na divisão das três pilhas, coloque na última gaveta ramos mais grossos para fortalecer a circulação de ar, como galhos de árvores. Na próxima, uma camada de materiais mais fibrosos, como talos de plantas. Por fim, na primeira gaveta, adicione uma camada de material verde, como folhas, e coloque água em cada pilha.

Dicas para melhorar a compostagem

A dica principal é mexer na sua compostagem uma vez na semana, para que ela não fique sem oxigenação. Além disso, não encha demais. Mas, para adicionar mais resíduos, use um ancinho para organizar e acomodar de forma fácil os próximos resíduos.

Além disso, não é uma exigência ter minhocas na sua composteira. No entanto, as minhocas podem ser de extrema utilidade nesse processo, uma vez que, quando elas se movem, comem terra e decompõe os resíduos.

Passo a passo de como fazer compostagem quente:

Criança com adubo de compostagem

Veja a seguir como fazer uma compostagem quente em qualquer ambiente, na temperatura certa para decompor os resíduos de forma correta. Por fim, saiba como evitar que o seu material queime e não dê os resultados esperados.

Combine os materiais

Para combinar os materiais, como vegetais, folhas, galhos de árvores triturados, papelão ou jornal, feno ou palha e aparas de madeira, é necessário que eles estejam todos secos. Inclua na sua compostagem, os resíduos orgânicos que vem da cozinha, como a borra de café, restos de frutas (menos as cítricas, porque podem promover odores fortes).

Utilize fezes de animal (não de cães ou gatos) e plantas frescas, feno e até mesmo, a grama. Para obter melhores resultados, comece a construir sua pilha de composto misturando materiais e resíduos orgânicos. Se sua pilha de composto parecer muito úmida e o cheiro ficar desagradável, adicione mais folhas e galhos de árvore, e facilite a entrada de ar. Caso note que está muito seco, adicione mais resíduos orgânicos.

Regue a compostagem

Borrife água sobre a composteira regularmente para que fique com uma aparência consistente. Mas não coloque muita água, caso contrário, os microrganismos ficarão encharcados e se afogarão. Em outras palavras, eles morrerão sem fazer o seu trabalho, apodrecendo o restante da sua compostagem.

Monitore a temperatura de sua pilha e mantenha em uma média entre 50 a 60 graus, para ter certeza de que os materiais estão se decompondo adequadamente. Se a temperatura passar disso, como consequência, haverá perda total da compostagem, já que a água será evaporada, podendo até queimar os materiais.

Misture a compostagem

Durante o cultivo, forneça oxigênio à pilha mexendo pelo menos uma vez na semana, podendo até mais vezes, para um melhor desenvolvimento do composto. A dica de ouro é que: a melhor hora para virar o composto é quando o centro da pilha está quente.

Mexer na compostagem faz com que ela cozinhe mais rápido, evitando que o material tenha odor forte. Então, mexa super bem para que o seu composto se torne um fertilizando rico em nutrientes.

Junte ao jardim

Uma vez que o composto não liberar mais calor e ficar seco, na cor marrom e com aspecto quebradiço, está totalmente cozido e pronto para alimentar o jardim. Use o composto em seus vasos ou em canteiros, isso fará com que o seu jardim cresça de forma rápida em um solo rico em nutrientes.

Além disso, você pode variar na aplicação, usando a compostagem na forma de chá. Use para borrifar nas plantas, funcionará como um fertilizante natural.

Passo a passo de como fazer compostagem doméstica:

Fazendo compostagem doméstica

Veja a seguir dicas de como começar a fazer compostagem em casa sem surpresas desagradáveis como odores e insetos, obtendo os melhores resultados e transformando os restos dos seus alimentos em adubo.

Faça a "cama" de minhocas

Sempre forre o fundo da sua composteira com os húmus da minhoca, para manter elas e o seu composto saudável. Com o correto manuseio, não produz cheiro nem atrai insetos indesejáveis. Nesse processo, conhecido como vermicompostagem, as minhocas transformam restos de alimentos e demais resíduos orgânicos em adubo.

Além disso, uma das minhocas mais recomendadas para reciclagem de lixo orgânico são as Minhocas Californianas (vermelhas), da espécie Eisenia andrei. Entretanto, existem outras espécies que se adaptam bem, como as Eudrillus eugeniae, conhecidas como Africanas Gigantes; e a Perionyx excavatus, conhecida como Violeta do Himalaia.

Alimente as minhocas

Uma vez que a sua composteira estiver pronta, com todos os materiais e resíduos orgânicos misturados, as minhocas terão todos os alimentos que precisam. Isso porque, elas se alimentam de esterco e restos vegetais, como frutas, folhas secas, papéis e materiais orgânicos em decomposição.

Entretanto, é importante checar uma vez na semana como está a sua compostagem e ir adicionando o que for necessário. Dessa forma, não faltará alimento para as minhocas.

Coloque lixo orgânico

O lixo orgânico, isto é, frutas, verduras, talos, restos de comida, sementes e cascas, é tudo aquilo que tem origem animal ou vegetal. Opte sempre por esses alimentos naturais e evite os alimentos industrializados, já que em sua composição são pobres em valores nutricionais. Separe o seu lixo e coloque apenas aquilo que de forma nenhuma já foi processado.

Não deixe de separar os alimentos que mesmo não sendo processados e sendo de origem orgânica causam odores fortes na sua compostagem, como por exemplo, tudo que tem farinha de trigo e laticínios.

Coletar o húmus

Abra a sua composteira e deixe que a claridade entre para que as minhocas mergulhem para o fundo. Assim, comece a retirar aos poucos por cima e raspe a camada superior do húmus com uma pazinha de lixo ou qualquer outra ferramenta que você consiga raspar de forma adequada. Continue fazendo isso, até que você encontre novamente as minhocas.

Como outra opção, você pode peneirar o húmus em uma peneira de arroz ou o espalhar em um local apropriado para que separe as minhocas com a mão, devolvendo-as à caixa logo depois. Quando retirar todo o húmus, coloque os novos materiais. Assim, após alguns dias, as minhocas voltarão a fazer o seu trabalho com os novos alimentos adicionados.

Cuidados e manutenção com a compostagem:

Mulher fazendo manutenção da composteira

Leia a seguir dicas que serão valiosas para o cuidado necessário com a sua compostagem. Além disso, veja como realizar a manutenção desse processo é fundamental para um excelente resultado.

Frequência recomendada para manutenção

A manutenção deve ser realizada, no mínimo, uma vez na semana, mas o ideal é que se cuide da manutenção da compostagem de duas a três vezes na semana. Além disso, a checagem de temperatura é essencial para que o seu material não queime. Mantenha a temperatura abaixo de 70 graus. Meça com a mão ou com um termômetro de haste prolongada.

Por fim, não esqueça da água, mas não encharque. Caso exagere, coloque folhas secas, ervas ou palha para que seque o excesso de água. Ademais, mantenha essa frequente checagem para a qualidade do processo.

Colocar mais material na compostagem

Os depósitos de materiais orgânicos devem ser feitos diariamente, mas fique atento para não encher demais. Além disso, quando a caixa estiver cheia, é necessário deixar que esse material se decomponha antes de adicionar mais materiais. Há ainda a opção de obter uma composteira maior e com mais gavetas, para que sempre que uma gaveta encher, ser possível recomeçar o processo em outra.

Caso não haja a possibilidade de ter uma composteira maior, espere que os outros compostos em processo terminem para que se possa recomeçar novamente, sem atrapalhar o que já está em andamento. Por fim, não é necessário colocar novas minhocas, já que elas se reproduzem rapidamente e param quando percebem que não há mais espaço.

Misturar a compostagem

Utilize vários tipos de materiais para a sua compostagem. Se todos os materiais que colocar na sua composteira forem de uma só natureza, o resultado não será o esperado. Materiais diferentes influenciam na geração e na qualidade do composto, já que proporcionam diferentes fontes de nutrientes para que, no final, haja o adubo.

Misture bem todos os resíduos orgânicos (talos, frutas, verduras), ricos em carbono, para o dobro de materiais secos (palha, folhas secas, grama seca), ricos em nitrogênio. Em seguida, misture bem para que fique aerado e facilite a ação dos microrganismos no processo de decomposição.

Dê um novo fim aos seus resíduos orgânicos fazendo a compostagem!

Faça compostagem!

A compostagem tem inúmeras vantagens quando aplicada no meio urbano. A primeira é a melhora da saúde pública ao evitar fertilizantes químicos, causadores de vários tipos de doenças. Entretanto, a maior vantagem é que, o meio ambiente também se beneficia disso, uma vez que substâncias nocivas não empobrecem o solo e poluem rios.

A compostagem promove a valorização de um insumo natural e seguro para o meio ambiente. Haja vista que o adubo orgânico é um fertilizante rico em nutrientes do solo e no reaproveitamento agrícola da matéria orgânica, o que evita o uso de fertilizantes industriais, dos quais se demonstram extremamente perigosos e contribuem para o aquecimento do planeta.

Assim, ao realizar a compostagem, você está reciclando e tornando a vida útil do resíduo mais longa, uma vez que se evita o descarte precoce. Ou seja, produzir uma compostagem é uma ótima opção para quem quer dar um melhor fim para o lixo orgânico e contribuir para o meio ambiente.

Autor deste artigo

Redatora de Jardinagem, Casa e decoração, Turismo e Cotidiano.

Últimos posts


Zamioculca: Como cuidar da planta, significado da sua flor e mais!

Zamioculca: Como cuidar da planta, significado da sua flor e mais!

Você sabia que a Zamioculca pode "chorar"? Confira nesse artigo essa e outras curiosidades, além dos cuidados necessários com a planta.


Os 10 Melhores Esmaltes de 2022: Impala, Risqué e muito mais!

Os 10 Melhores Esmaltes de 2022: Impala, Risqué e muito mais!

Está procurando pelos melhores esmaltes do mercado? Veja aqui quais os 10 melhores esmaltes de 2022 e confira como escolher o produto ideal para as suas unhas!


Os 10 Melhores Bastões de Caminhada de 2022: Guepardo, Trilhas e Rumos e muito mais!

Os 10 Melhores Bastões de Caminhada de 2022: Guepardo, Trilhas e Rumos e muito mais!

Quer conforto e estabilidade? Veja neste artigo um ranking com as 10 melhores opções de bastões de caminhada atualmente e dicas de como escolher o modelo ideal!


As 10 Melhores Sombras para Sobrancelhas de 2022: Ruby Rose, Max Love e mais!

As 10 Melhores Sombras para Sobrancelhas de 2022: Ruby Rose, Max Love e mais!

Quer a sobrancelha perfeita? Veja aqui dicas de como escolher a melhor sombra para sobrancelha e um ranking com as 10 melhores opções do mercado atualmente!


Os 10 Melhores Leite Condensado de 2022: Piracanjuba, Moça e muito mais!

Os 10 Melhores Leite Condensado de 2022: Piracanjuba, Moça e muito mais!

Quer fazer doces deliciosos? Veja neste artigo um ranking com as 10 melhores opções de leite condensado atualmente no mercado e dicas de como escolher o ideal!


Palavras do momento

Palavras-chave do momento no PortalVidaLivre


Internet e Conexão Perfume Ar e ventilação