7 aspectos essenciais para acompanhar no desenvolvimento neuropsicomotor do seu filho!

7 aspectos essenciais para acompanhar no desenvolvimento neuropsicomotor do seu filho!

Está procurando saber sobre o desenvolvimento neuropsicomotor da sua criança? Confira aqui as principais esferas e o que esperar de cada idade do seu filho!


7 aspectos essenciais para acompanhar no desenvolvimento neuropsicomotor do seu filho

A plasticidade neural que as crianças possuem nos primeiros anos de vida é incomparável com a de qualquer outro momento. Essa fase é determinante para o desenvolvimento neuropsicomotor, e por isso, é fundamental que os pais façam um acompanhamento diário do bebê ou da criança, sabendo o que ela faz até mesmo quando está na escolinha.

Com um olhar atento, os pais e responsáveis poderão ajudar os pequenos a se desenvolverem, estimulando-os e até buscando o auxílio de especialistas quando notarem que há algo de errado. Porém, para que consigam notar, é necessário que saibam o que observar. Este artigo é justamente para isso.

Ele tem o objetivo de mostrar a vocês, papais e mamães, quais são os aspectos importantes que devem ser acompanhados no desenvolvimento neuropsicomotor dos seus pequenos. Vamos conferir?

Principais esferas do desenvolvimento neuropsicomotor

Os principais campos a serem observados durante o desenvolvimento neuropsicomotor são dos pequenos são:

  1. Social
  2. Emocional
  3. Comportamental
  4. Cognitivo
  5. Linguagem
  6. Coordenação motora fina
  7. Coordenação motora grossa

Em cada salto do desenvolvimento infantil são esperados determinados comportamentos e avanços nesses sete aspectos.

O que esperar em cada idade

Sabe os sete aspectos que falamos no tópico anterior? Agora vamos ver cada um deles de acordo com os saltos de desenvolvimento neuropsicomotor!

Entre zero e seis meses

  • Campo social: nessa faixa etária, o pequeno começa a sorrir e a rir espontaneamente. Ele também é capaz de seguir pessoas com a cabeça e saber quando alguém é um estranho. Ele gosta da companhia dos pais e consegue reconhecê-los em meio a outras pessoas.
  • Campo emocional: desde pequenininho o bebê consegue sentir o amor materno que recebe. O som da voz dos pais ajuda-o a sentir que não está só. Ao final dessa fase ele já consegue demonstrar diversas emoções em suas expressões faciais.
  • Comportamental: até o final dessa faixa etária o bebê já está mamando bem e dorme em intervalos maiores de horas.
  • Cognitivo: o bebê, perto do final dessa faixa etária, já começa a entender certas expressões faciais, como por exemplo quando os pais estão bravos ou alegres.
  • Linguagem: nesse período o bebê está na fase de lalação. Ele apenas balbucia e dá certos gritinhos com alguma entonação.
  • Coordenação motora fina: dentro dessa faixa etária o bebê consegue movimentar os olhos de forma coordenada, fazer movimentos de abrir e fechar com as mãos e segurar objetos e levá-lo à boca.
  • Coordenação motora grossa: dentro dessa faixa etária o bebê consegue firmar a cabeça, sustentar o pescoço e movimentar a cabeça para acompanhar sons. Ele também se torna capaz de sentar com apoio, se virar quando for colocado na posição de bruços e esticar os braços.

Entre sete e nove meses

  • Campo social: já nessa fase o pequeno começa a reconhecer quanto é chamado pelo nome e a fazer e imitar gestos. Ele também gosta quando está acompanhado.
  • Campo emocional: as emoções começam a ficar mais claras. O bebê também começa a fazer coisas que ele percebe que despertam reações emocionais nos outros.
  • Comportamental: a curiosidade começa a se desenvolver intensamente nessa fase, o que faz o bebê querer explorar. Ele sente mais autonomia. Também gosta de jogar objetos no chão para ver se os pais irão juntá-los. Quanto ao sono, o bebê dorme até 15h por dia entre sonecas e sono noturno.
  • Cognitivo: nesse período o pequeno tende a explorar os objetos e a perceber que é possível fazer coisas com eles. Ele também já começa a entender algumas palavras.
  • Linguagem: nessa etapa do desenvolvimento neuropsicomotor, o bebê já é capaz de balbuciar algumas sílabas repetidas, como por exemplo “mama” e “papa”.
  • Coordenação motora fina: dentro dessa faixa etária o bebê começa a amassar papéis com as duas mãos.
  • Coordenação motora grossa: dentro dessa faixa etária o bebê consegue sentar sem apoio, engatinhar e ficar em pé com apoio.

Entre dez meses e um ano

  • Campo social: nessa fase o bebê começa a se interessar por outros da idade dele. Quando vê uma criança brincando, ele vai ao lado dela e brinca individualmente, porém próximo a ela. O pequeno também já é capaz de dar tchau. 
  • Campo emocional: o bebê dessa faixa etária já começa a demonstrar afeto por pessoas de seu ciclo familiar: pais, irmãos e responsáveis/cuidadores. Ele sente medo de pessoas estranhas e reage negativamente. O pequeno também busca a aprovação dos pais e tenta agradá-los. Ele sente ansiedade quando é separado deles.
  • Comportamental: o pequeno já pode apresentar alguma independência com relação à alimentação, como tomar água sozinho ou comer com as mãos. Seu sono também já está mais tranquilo nessa fase. Outra questão que aparece é o apego a algum bichinho de pelúcia.
  • Cognitivo: essa é uma fase perfeita para começar a estimular o gosto pela leitura. É claro que o bebê ainda não pode ler, mas ele se interessa cada vez mais por livros e quer pegá-los e olhá-los. Ele também já começa a demonstrar preferências por um livro ou outro. Outro aspecto com relação ao cognitivo é que o bebê já começa a ter um entendimento de comandos simples, mas às vezes os ignora.
  • Linguagem: nesse estágio o bebê já consegue falar algumas palavras, como por exemplo “papai” e “mamãe”.
  • Coordenação motora fina: dentro dessa faixa etária a criança já consegue fazer movimentos de pinça e cutucar com o dedo. Ela também já é capaz de segurar um copo infantil pelas alças laterais.
  • Coordenação motora grossa: é dentro dessa faixa etária que a criança dá os seus primeiros passos com o apoio dos pais. Ela também já pode se levantar do chão sozinha.

Com um ano e seis meses

  • Campo social: com a idade de um ano e seis meses, o desenvolvimento neuropsicomotor do pequeno no aspecto social já inclui a brincadeira com outras crianças e a resposta a comandos simples.
  • Campo emocional: o pequeno quer muita atenção e é capaz de fazer coisas como tossir para obtê-la. Ele também não gosta que fiquem pegando-o. Cheio de vontades, ele já sabe o que ele quer e o que não quer.
  • Comportamental: nessa fase é comum que o bebê tenha um comportamento ambivalente com relação à alimentação. Há comidas que ele pode recusar em um momento e devorar no seguinte. Ele também pode se recusar a comer alimentos que adorou no dia anterior.
  • Cognitivo: aprender coisas novas é um interesse cada vez maior no bebê dessa idade. Ele demonstra a criatividade latente por meio de rabiscos.
  • Linguagem: a criança dessa faixa etária já é capaz de falar cerca de 10 palavras corretamente.
  • Coordenação motora fina: com essa idade a criança já consegue pegar uma colher ou um copo, levar alimentos até a boca com pouca entornação, fazer rabiscos e folhear um livro.
  • Coordenação motora grossa: dentro dessa faixa etária o pequeno já consegue andar sem apoio, descer escadas sentando-se em cada degrau e subi-las apoiando-se com as mãos e com os pés. Ele também já é capaz de fazer movimentos negativos com a cabeça e de chutar uma bola que é atirada para ele.

Com dois anos

  • Campo social: nessa fase, apesar de já saber brincar com outras crianças, o pequeno ainda prefere brincar sozinho. Ele é muito apegado aos brinquedos e não sabe partilhá-los. É comum que ele queira escondê-los das outras crianças.
  • Campo emocional: aos dois anos, é comum que a criança comece a fazer birra quando as coisas não são como ela quer e a desobedecer. Essa fase é chamada de “terrible two”. O pequeno também já está mais integrado na escolinha, mas ainda não superou a ansiedade que sente quando se separa dos pais.
  • Comportamental: quando não estão com os pais, começam a se sentir independentes. É como uma adolescência do bebê. Por isso que, quando com os pais, começam a ter o comportamento “do contra” e a desobedecê-los.
  • Cognitivo: é capaz de identificar gêneros masculinos e femininos. Também já sabe seguir um ritmo ao cantar e bater palmas.
  • Linguagem: a criança de dois anos já é capaz de entender muito do que escuta e de formar frases curtas. É comum que tropece em algumas palavras. Ela também já consegue dar nome às formas e cores.
  • Coordenação motora fina: nessa faixa etária a criança já é capaz de empilhar objetos.
  • Coordenação motora grossa: nessa idade o pequeno já tem uma marcha consistente e já consegue correr. Ele também é capaz de ficar na ponta dos pés.

Com três anos

  • Campo social: a criança de três anos já está menos individualista e mais disposta a partilhar e a conviver com outros da idade dela. É por volta dessa idade que os tipos de brincadeiras começam a se separar gradual e naturalmente de acordo com o gênero, como por exemplo brincadeira de carrinho e de boneca.
  • Campo emocional: no campo das emoções, nessa idade a criança pode carregar ao longo do dia um sentimento decorrente de uma situação específica. Ela também pode reproduzir sinais de violência caso a tenha observado, seja na vida real ou na ficção. Aos três anos o pequeno também já consegue sentir e demonstrar preocupação com os coleguinhas.
  • Comportamental: nessa etapa o pequeno está na fase dos “porquês”, tentando entender o mundo ao seu redor. Ele também gosta de imitar os outros e já consegue se manter focado em uma atividade por até 15 minutos.
  • Cognitivo: com três anos o pequeno já é capaz de entender conceitos temporais, como os três períodos de um dia, e também conceitos espaciais, como embaixo e em cima, na frente e atrás, perto e longe.
  • Linguagem: na esfera da linguagem, aos três anos a criança já é capaz de construir frases um pouco maiores. Ela já possui um vocabulário mais amplo, de cerca de 800 palavras. Ela também já consegue responder a perguntas simples, como a idade e o nome dela.
  • Coordenação motora fina: com essa idade a criança já é capaz de manter contato visual consistente quando conversa com alguém.
  • Coordenação motora grossa: aos três anos o pequeno já consegue nadar e balançar o corpo.

Com quatro anos

  • Campo social: nessa fase há um progresso nas relações interpessoais. As crianças começam a participar de atividades em grupo, a cooperar e a criar laços de amizade. Elas já sabem escolher com quais amiguinhos elas querem e com quais elas não querem brincar. É por volta dessa idade também que podem surgir os amigos imaginários.
  • Campo emocional: a criança adota um comportamento desafiador. É comum que ela teste os limites dos outros, para que consiga ver até onde pode ir antes de chegar a consequência por seus atos. Ela também vai a extremos, da atitude desafiadora até a vergonha pelo que fez no momento seguinte. Nessa idade, a autoconfiança também está em alta, e a criança pode assumir riscos físicos para testar os seus limites.
  • Comportamental: essa é uma fase em que o pequeno está bem ativo e fazendo algumas atividades de autocuidado de forma independente. É comum também que nessa fase a criança tenha pesadelos com mais frequência.
  • Cognitivo: o desenvolvimento cognitivo nessa etapa é muito percebido pela fala. É possível notar que a criança já aumentou sua capacidade de compreensão do que escuta. Ela também já conhece muitas letras do alfabeto e consegue escrever o próprio nome.
  • Linguagem: nessa etapa a criança já fala de forma fluente. Ela responde com facilidade às perguntas que lhe são feitas e é capaz até de inventar palavras. Ela também consegue pronunciar bem as vogais e as consoantes.
  • Coordenação motora fina: aos quatro anos o pequeno já consegue usar um lápis de forma correta, usar tesoura para crianças e organizar objetos.
  • Coordenação motora grossa: nessa idade a criança já é capaz de saltar obstáculos pequenos e driblar uma bola.

Com cinco anos

  • Campo social: aos cinco anos as crianças começam a querer compartilhar histórias, como por exemplo o que aconteceu na escolinha. Elas também começam a ter os “melhores amigos”, mas ainda preferem atividades em grupo. Outro aspecto social dessa fase é que o pequeno começa a entender as necessidades da outra pessoa, quando é preciso esperar e quando é ou não a sua vez.
  • Campo emocional: essa fase é marcada por muita independência, que vem em decorrência de todo o progresso em seu desenvolvimento neuropsicomotor. A criança também está com a personalidade bem desenvolvida e já consegue controlar as suas emoções.
  • Comportamental: o pequeno tem muita autonomia. Já se veste completamente sozinho e também cuida de sua higiene íntima sozinho. Nessa idade ele também tende a preferir comidas menos elaboradas.
  • Cognitivo: a criança já percebe a diferença entre certo e errado, verdade e mentira, justo e injusto. Ela também já possui noções como alto/baixo e maior/menor, é capaz de representar no papel aquilo que está em sua imaginação e de contar até 100. A memória dela também está mais desenvolvida, e por isso ela consegue memorizar melhor as histórias do cotidiano.
  • Linguagem: aos cinco anos, a criança já tem um vocabulário mais amplo. Ela já está começando a entender o que as palavras significam e até os duplos significados que elas às vezes têm. O vocabulário da criança de cinco anos tem em média 2 mil palavras.
  • Coordenação motora fina: nessa idade o pequeno já consegue abotoar botões, fechar zíper e amarrar cadarços.
  • Coordenação motora grossa: com cinco aninhos o pequeno já consegue dar cambalhotas e dançar.

Com seis anos

  • Campo social: nessa fase a interação das crianças com as outras da mesma idade é constante. Ela também já tem plena integração com as atividades familiares e pode até ajudar em pequenas atividades da casa e nos cuidados com o irmãozinho.
  • Campo emocional: a criança de seis anos busca pelo reconhecimento dos adultos. Ela quer sentir que ela é apreciada por eles. Ela também é muito sensível e tem facilidade em demonstrar os seus sentimentos. A empatia também se manifesta, e a criança já consegue sentir a dor do outro.
  • Comportamental: nessa etapa do desenvolvimento neuropsicomotor, a criança já possui opinião própria. Ela também sabe mais claramente o que quer e o que não quer. Ela gosta que a incluam nas decisões que a afetam.
  • Cognitivo: com seis anos a criança já consegue notar que uma mesma coisa pode ser feita de várias formas. Ela tem mais clareza em seu raciocínio e já sabe o que é realidade e o que é ficção. Ela também já é capaz de tomar decisões.
  • Linguagem: nessa fase, a criança já deve ter a linguagem bem desenvolvida e ser capaz inclusive de usar palavras complexas. O diálogo entre ela e as outras crianças é constante. Ela também já consegue contar histórias de maneira mais coerente e detalhada.
  • Coordenação motora fina: com essa idade o pequeno já consegue cortar o papel seguindo uma linha reta, manipular o papel enquanto o corta com a tesoura e carregar um copo sem derramar o que está dentro.
  • Coordenação motora grossa: aos seis anos a criança já é capaz de andar com passos alternados em uma escada, pular em um pé só, andar de bicicleta e chutar uma bola em movimento.

Finalizando

Mamãe e papai, como vocês viram, há sete aspectos importantes para acompanhar em cada fase do desenvolvimento neuropsicomotor dos pequenos. Há crianças, é claro, que demoram um pouco mais a desenvolver certos aspectos do que outras, mas é importante prestar atenção para ver se esse desenvolvimento não está passando muito da média. Na dúvida, converse com um pediatra, combinado?

Autora deste artigo
Graziela Balardim

A autora é Jornalista, pós-graduada em Produção Multimídia e atua na ClipEscola como Conteudista de Marketing Digital.

Autor deste artigo

Estudante de Letras em alemão e português pela Universidade de São Paulo, redatora e revisora freelancer. Fascinada pela literatura, cinema, trilhas e o som das ondas quebrando na beira da praia.

Últimos posts


Os 10 Melhores Robôs Aspiradores com Bom Custo-Benefício de 2024: Multilaser, Electrolux e muito mais!

Os 10 Melhores Robôs Aspiradores com Bom Custo-Benefício de 2024: Multilaser, Electrolux e muito mais!

Quer ajuda na limpeza sem gastar muito? Neste artigo, mostramos os 10 melhores robôs aspiradores com bom custo-benefício de 2024, como escolher e onde comprar!


Os 10 Melhores Monitores para Programar de 2024: LG, Dell, Samsung e muito mais!

Os 10 Melhores Monitores para Programar de 2024: LG, Dell, Samsung e muito mais!

Procurando um bom monitor para programar? Neste artigo veja muitas informações sobre esse produto para escolher o ideal e ainda um ranking com os 10 melhores!


As 10 Melhores Marcas de Patins de 2024: Fila, Rollerblade, Traxart e Mais!

As 10 Melhores Marcas de Patins de 2024: Fila, Rollerblade, Traxart e Mais!

À procura da melhor marca de patins? Confira neste artigo quais são as 10 melhores marcas de patins de 2024 e aprenda como escolher o melhor modelo para você!


Os 10 Melhores Perfumes Masculinos de 2024: Versace, Dior e muito mais!

Os 10 Melhores Perfumes Masculinos de 2024: Versace, Dior e muito mais!

Se você gosta de boas fragrâncias, os perfumes masculinos são interessantes para compor seu visual. Neste artigo, confira como escolher e quais os 10 melhores!


As 10 Melhores Marcas de Roupas Fitness de 2024: Lupo, Puma, Nike e Mais!

As 10 Melhores Marcas de Roupas Fitness de 2024: Lupo, Puma, Nike e Mais!

Ainda não sabe qual a empresa de roupas ideal para a prática de exercícios físicos? Veja as 10 melhores marcas de roupas fitness de 2024 e saiba como escolher!


Palavras do momento

Palavras-chave do momento no PortalVidaLivre


DIY Cuidados automotivos Doces e sobremesas Saúde sexual Acessórios para moto